.posts recentes

. NOVA MODA NA ALIMENTAÇÃO ...

. ELEITORES JÁ DEMONSTRAM A...

. Sérgio Moro dá primeira e...

. FIM DO MINISTÉRIO DO TRAB...

. Estradas têm movimento in...

. “Se eu errar, o PT volta”...

. Jair Bolsonaro é eleito p...

. JOÃO KLÉBER ANUNCIA VOLTA...

. DEBATE NA TV RECORD TEVE ...

. Servidora acusada em víde...

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Fevereiro 2010

Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

Polícia analisa imagens de câmeras de segurança para tentar desvendar assassinato de Vitória

35477143_627093801001689_8838413108796981248_n (1)

 

mySuperLamePic_deb67f072af5e9216ee323a16c9f5fdd.jp

 

As autoridades estão recorrendo a imagens de câmeras de segurança para tentar obter pistas que desvendem o assassinado da jovem Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de apenas 12 anos, encontrada morta em uma região de mata no Bairro do Caxambu, em Araçariguama, no começo da tarde de sábado (16/06).  


Ao todo, imagens de 10 câmeras de segurança foram localizadas nos aproximados 7 km de distância entre o local onde a garota desapareceu e o ponto onde ela foi encontrada. As filmagens serão analisadas por uma equipe de peritos de São Paulo, que irão avaliar também os patins que a jovem utilizava no momento em que desapareceu e que foram encontrados junto ao corpo.

homem que teve sua prisão preventiva decretada prestou depoimento nesta segunda-feira (18/06) sobre o caso. A testemunha,Júlio César Lima Ergesse, 24 anos que trabalha como servente de pedreiro e também tio da menina, foi questionada em diversos momentos desde que foi ligada ao caso, mas embora tenha afirmado que estava com a menina no momento em que ela teria sido levada para Mairinque, seus depoimentos apresentaram uma série de contradições.

A polícia também irão abordar os pais da menina para tentar descobrir mais sobre a rotina do jovem, na busca por mais informações.

Advogado da família, Roberto Guastelli informou que, desde domingo (17/06), mesmo dia do sepultamento do corpo de Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, a polícia passou a investigar também amigos da família.


corpo de Vitória foi sepultado no domingo (17/06) gerando muita comoção na cidade, que decretou luto oficial pela tragédia envolvendo a menina. As investigações correm em segredo de Justiça. 

casal apontado pelo suspeito preso de ter levado a menina Vitória dentro do carro no dia do desaparecimento da vítima, esteve no Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba (SP) na tarde desta terça-feira (19/06) para colher material genético.
 

Segundo o advogado Jairo Coneglian, o casal foi ouvido várias vezes pela polícia e não há indícios de envolvimento deles no caso. Por isso, não são considerados suspeitos, segundo o advogado.

A morte da menina Vitória Gabrielly acabou chocando o Brasil. Nesta terça-feira, (26/06), mais 1 informação sobre o caso veio à tona e está mexendo com muita gente. De acordo com um policial que trabalho no caso, não era para ser Vitória Gabrielly a menina morta, mas sim uma outra menina de mesmo nome.  Ela mora no mesmo bairro da adolescente que desapareceu de patins rosa, a região de Araçariguama, no interior de São Paulo.

O irmão da Vitória que sobreviveu tem dívidas com o tráfico de drogas. Ele recebeu ameaças de que alguém de sua família seja morto por conta das dívidas. A polícia já sabe também que 2 pessoas participaram efetivamente no assassinato de Vitória Gabrielly. 

 

"Nada indica (que ela fosse o alvo da vingança). Não há histórico (passado ou recente) contra a família ou parente da vítima" - disse o delegado seccional de Sorocaba (99 km de São Paulo) Marcelo Carriel.

Quem matou a Vitória ?

 O casal Maiara Borges e Bruno Marcel de Oliveira

 

O que motivou o crime ?

 Dívida de drogas.

O que se sabe sobre a família de Vitória ?

Vitória Gabrielly tinha 2 irmãos por parte de mãe, com quem morava em Araçariguama. Os pais são separados. Rosana Magalhães, mãe da menina, é professora na rede municipal de Araçariguama e tem mais 2 filhos, de 20 e 22 anos. O pai, Luiz Alberto Vaz, trabalhava em uma empresa de segurança, nas horas vagas atua como locutor em uma rádio, e não tem outros filhos.

O que diz a mãe?

Rosana Guimarães disse que, dias antes do desaparecimento da filha, fez uma alerta para que ela tomasse cuidado com a abordagem de desconhecidos. A conversa terá acontecido em um domingo, após as 2 saírem da igreja.

 

O que diz o pai?

Luiz Alberto Vaz declarou acreditar que algum conhecido da família esteja envolvido no crime da menina Vitória. Para ele, a filha não entraria no carro de uma pessoa desconhecida. O pai afirma também que o assassino conheça bem a cidade.

 

A Polícia Civil indiciou na noite desta quinta-feira (28/06), sob acusação de homicídio doloso (com intenção), o servente de pedreiro Julio Cesar Lima Ergesse, 24, único suspeito preso pela morte da estudante Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, 12.

Ela foi encontrada morta no dia 16 na zona rural da cidade de Araçariguama (53 km de SP). A informação foi confirmada por 1 dos participantes da investigação.

Vitória foi sequestrada no dia 8 de junho, segundo a polícia, quando andava de patins perto do ginásio. Os últimos momentos da estudante foram registrados por uma câmera de monitoramento da região.

O servente foi preso temporariamente após afirmar à polícia que estava em um carro preto, quando Vitória foi sequestrada, junto com 1 casal (Maiara Borges e Bruno Marcel de Oliveira foram conduzidos para as viaturas e, em seguida, encaminhados para a delegacia de Mayrinque, onde prestarão depoimentos e depois ambos irão para o presídio de Tremembé na cidade do mesmo nome no Vale do Paraíba)-que acabou sendo preso pela morte de Vitória Gabrielly.

A dupla possui histórico crminal: Maiara por roubo e Bruno por tráfico de drogas.

Mais uma reviravolta no caso do assassinato brutal de Vitória Gabrielly. Dessa vez, novo depoimento trouxe 1 luz para desvendar o crime que comoveu o Brasil. De acordo com o portal de notícias online,R7, 1 homem morador de Araçariguama (SP) esteve na delegacia da cidade onde revelou que sabe qual foi a motivação do crime:

Segundo a Polícia Civil, o homem que não teve seu nome identificado esteve nesta terça-feira (03/07) no Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa, onde revelou que Vitória Gabrielly foi assassinada por engano. Infelizmente a adolescente estava na hora errada e no lugar errado, assim como sua mãe Rosana sempre havia dito.

O homem, que foi incluído no programa de proteção à testemunha, é apontado como o traficante da região de Araçariguama. Ele disse aos policiais que devia dinheiro a outro traficante e que, por isso, estava recebendo ameaças de morte.

O homem confessou que devia 1 quantia para traficantes de droga da região e que estava recebendo ameaças de morte. O suspeito também disse que sabia que o traficante, para quem ainda deve, tinha o costume de se vingar daqueles que o deviam castigando integrantes da família dos devedores e disse que tem uma irmã com as mesmas características de Vitória Gabrielly, da mesma idade e que mora na mesma região conforme revelou o policial civil que teve o nome preservado pela SSP-SP, por isso ele acredita que a menina foi raptada e assassinada no lugar dela. 2 delegados do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram em Mairinque para entregar o depoimento da testemunha aos policiais que investigam o caso.

Afirmou que devia R$7 mil reais a este traficante e foi por esse valor que a vida de Vitória Gabrielly foi ceifada de maneira tão cruel. Até o depoimento desta nova testemunha a polícia ainda não sabia qual era a real motivação deste crime hediondo. Neste momento, três pessoas estão presas: o servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse e o casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes, todos moradores de Mairinque.

O homem que prestou este novo depoimento afirmou que conhece Julio, Bruno e Mayara. Segundo ele, Ergesse é usuário de drogas – foi ele que revelou para a polícia que esteve em Araçariguama na companhia do casal e lá testemunhou o rapto de Vitória.

Durante o interrogatório, no dia 8 de junho, data em que a menina desapareceu ao sair de casa para andar de partins, Júlio disse à polícia que foi até Araçariguama acompanhado de Bruno, Mayara e Vitória, para cobrar uma dívida de drogas.

O crime chegou a ser investigado como vingança, mas a principal hipótese era de que a vítima teria sido pega por engano pelos carrascos – o que acabou sendo confirmado pelo traficante ouvido nesta terça-feira (03/07).

 
 

mãe da estudante Vitória Gabrielly Vaz disse, em entrevista à Record TV que registrou Boletim de Ocorrência contra a madrasta e esposa de Luiz Alberto.

No primeiro boletim de ocorrência levantado pela RecordTV, registrado em agosto de 2012, a mãe de Vitória, Rosana Guimarães, relatou à Polícia Civil que a filha havia sido agredida pela madrasta. O caso foi registrado como maus-tratos e o pai da menina, Luiz Alberto Vaz, foi testemunha do caso. Segundo a mãe, essa foi a única agressão que a filha teria sofrido da madrasta.

Ainda segundo Rosana, o pai havia dito que se ela não registrasse o boletim de ocorrência, ele mesmo iria à delegacia dar parte de sua esposa, que teria puxado o cabelo de Vitória e 2 anos depois, em fevereiro de 2014, foi a vez da madrasta ir à delegacia prestar queixa contra Rosana. O boletim de ocorrência registrado como ameaça e injúria, que a RecordTV também teve acesso, aponta que Rosana e os 2 irmãos de Vitória (filhos de Rosana com outro homem) estavam a provocando toda vez que se encontravam.

Em entrevista concedida para a TV TEM, afiliada da Rede Globo de Televisão, Rosana Guimarães, fez um desabafo emocionante, ela perguntou, "até quando o tráfico de drogas vai matar? É triste, é doloroso", afirmou a mãe de Vitória visivelmente devastada pela dor. "Porque não a deixaram voltar para casa"? " Porque não soltaram ela?" "Quantas Vitórias vão passar por isso?"

Assista a entrevista na íntegra de Rosana Guimarães clicando aqui.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por srgiodefreitas1965 às 20:28
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.subscrever feeds