.posts recentes

. "Ou a gente muda este Paí...

. ELEIÇÕES NO BRASIL

. O Tiririca do Cerrado: Se...

. ZULU: A EX-BOLETE QUE NUN...

. Dr. Bumbum e mãe são pres...

. Mulher morta por trem ao ...

. Copa do Mundo 2022: o que...

. A chuva quando cai não é ...

. Acidente envolvendo carro...

. Já teve problemas na cont...

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Fevereiro 2010

Terça-feira, 10 de Julho de 2018

Seguranças admitem ter espancado jovem em balada de SP, diz polícia

 

 

36889519_838268786367760_1545843984931225600_o.jpg

 

foragido.jpg

 

3 seguranças foram identificados pela Polícia Civil, nesta terça-feira (10), por envolvimento na agressão ao universitário Lucas Martins de Paula, de 21 anos, na casa noturna Baccará Backtage, em Santos, no litoral de São Paulo, durante uma confusão por R$ 15 no caixa do estabelecimento, no sábado (07/07). 

A confusão aconteceu na madrugada de sábado, no bairro Embaré. Ao Jornal da Tribuna edição 2, o pai do jovem contou que amigos que estavam com o estudante relataram que o filho foi ao caixa para pagar a conta, quando notou a cobrança de uma cerveja a mais na comanda. Na reclamação, houve discussão e briga entre os clientes e os vigilantes do local.

Inicialmente, a casa noturna, por meio da assessoria jurídica, negou à imprensa que os funcionários tivessem agredido o cliente. Entretanto, o advogado da empresa, João Armôa Júnior, mudou a versão do caso nesta terça-feira (10/07) ao admitir que 3 seguranças terceirizados, a quem ele também representa, cometeram o crime. “Apuramos e verificamos que 1 deles usou de força desproporcional. Deu um soco no rapaz, que caiu e bateu a cabeça no chão”.

Os seguranças foram apresentados pelo próprio defensor no 3º Distrito Policial de Santos, por onde ocorrem as investigações. “Identificamos os envolvidos. 1 deles segurou o rapaz enquanto o outro o agrediu. O terceiro é o chefe da equipe de segurança, que se omitiu diante da agressão”, explicou o delegado Luiz Henrique Artacho.

Além de Lucas, outros 2 amigos dele foram enquadrados como vítimas do caso. Eles não precisaram de atendimento médico. O advogado da casa noturna afirmou que a conta de somente 1 das pessoas do grupo foi paga, e o restante permaneceu em aberto. “Já entramos em contato com o pai do jovem para nos colocarmos à disposição”, afirmou o defensor.

Câmera flagra briga causada por R$ 15 que deixou jovem em coma. Assista clicando aqui.

Mais 2 seguranças são indiciados por tentarem matar jovem por R$ 15 em balada

Morre estudante espancado por seguranças em casa noturna de Santos

O registro inicial da ocorrência foi feito a partir do crime de lesão corporal. A apuração inicial da Polícia Civil fez com que também fosse apurada a eventual tentativa de homicídio. As vítimas e os seguranças foram ouvidos formalmente pelo delegado nesta terça-feira. O proprietário da casa noturna também já foi intimado a depor.

A confusão aconteceu na madrugada de sábado (07/07). O jovem questionou o valor indevido que estava na comanda ao operador de caixa do local. Um segurança foi chamado e uma discussão foi iniciada. Segundo Isaías de Paula, pai de Lucas, 1 grupo de seguranças da casa noturna formou uma roda e incentivou a briga.

"Os amigos do meu filho ficaram pagando a comanda, enquanto os seguranças o levaram para fora. Foi aí que eles fizeram uma roda e jogaram meu filho no meio, junto com o primeiro segurança que discutiu com ele lá dentro", conta.

Martins foi agredido até desmaiar. Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) o socorreram e levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central, onde chegou desacordado e entubado. Em seguida, foi transferido para a Santa Casa de Santos. Ele segue internado na Unidade de Tratamento Intensivo com quadro de politraumatismo.

O pai do jovem, agora, quer punição para quem fez isso com o filho. "Você cria o filho que nunca deu problema, a vida dele é estudar, ele está no quarto ano do curso de Engenharia Elétrica, vive para isso e agora o vemos numa situação dessas. É crítico. É a pior sensação possível", desabafa.

A Prefeitura de Santos intimou nesta terça-feira (10/07) o bar e casa noturna Baccará a encerrar as atividades depois de o universitário Lucas Martins de Paula, de 21 anos, ter sido espancado por seguranças do estabelecimento após reclamar da cobrança de R$ 15,00 a mais na comanda.

Motivada pelo caso, a Prefeitura organizou uma vistoria no bar e na casa noturna, localizados lado a lado no Embaré, com uma força-tarefa composta por membros da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), da Vigilância Sanitária, da Guarda Municipal e da Ouvidoria.

De acordo com Gisleine Pontes, chefe da Seção de Fiscalização Dirigida, o alvará foi indeferido porque os fiscais constataram que a casa noturna tem entrada pela Avenida Epitácio Pessoa e saída pela Rua Oswaldo Cóchrane, o que não é permitido pela legislação.

Em virtude das irregularidades, os fiscais entregaram uma intimação determinando que o proprietário encerre a atividades imediatamente. “Caso ele descumpra, está sujeito à multa que vai de R$ 1,3 mil a R$ 10 mil e embargo”.

O segurança Thiago Ozarias Souza, apontado como o autor de 12 golpes contra o universitário Lucas Martins de Paula, de 21 anos, no bar e casa noturna Baccará Backstage, em Santos, no litoral de São Paulo, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e se apresentou no 3º DP de Santos na noite desta sexta-feira (03/08) quando foram divulgadas imagens que mostram agressão a universitário em frente a bar que morreu na noite de domingo (29/07), após 22 dias de internação. Ele foi recolhido à carceragem do 5º Distrito Policial na Zona Noroeste de Santos

O segundo segurança Sammy Barreto Callender, de 34 anos, que participou das agressões contra Lucas,se entregou à polícia na noite desta segunda-feira (06/08), em Santos, no litoral de São Paulo e também foi recolhido no mesmo distrito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

publicado por srgiodefreitas1965 às 23:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
18
20
21
22
23
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.subscrever feeds