.posts recentes

. Com Geraldo Luis “sem con...

. Casamento cancelado! Vivi...

. SELETIVO SANTOS: TARIFA P...

. Atentado a ônibus pode se...

. Câmara aprova contas de 2...

. O TRABALHO DOS NÃO POLICI...

. MORRE LUIZ MELODIA AOS 66...

. O que aconteceu na Venezu...

. MORRE O HOMEM DO TOP TOP ...

. PREFEITURA REALIZARÁ AÇÃO...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Fevereiro 2010

Sexta-feira, 14 de Outubro de 2016

DEPUTADO CATARINENSE QUER O FIM DO HORÁRIO DE VERÃO

 

o horario de verao.jpg

Em tramitação na Câmara dos Deputados, o projeto de lei 397/2007, de autoria do deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC), quer extinguir o horário de verão .

“Mais uma vez se prejudica a saúde das pessoas com uma medida de pouco ganho na economia do Brasil” !!

A justificativa do Ministério de Minas e Energia para manter o horário de verão é que ele serve de “instrumento de eficiência energética” com melhor aproveitamento da luz natural. O Ministério cita redução média da demanda de energia elétrica da ordem de 4,5% e uma economia no consumo de energia elétrica agregada (em megawatt/hora) de 0,5%.

Colatto rebate lembrando que não existe economia na conta de energia elétrica, mas sim o aumento no consumo de energia neste período. Para saúde, a situação ainda piora. “O organismo fica completamente desequilibrado. Estudos apontam sintomas indesejados como dores de cabeça, aumento da fadiga, taquicardia, diminuição de rendimento nos estudos e no trabalho, principalmente em pessoas com mais idade”, destaca Colatto.

Conforme o parlamentar, os trabalhadores rurais são os que mais relatam as consequências do horário diferenciado. O desconforto que a adoção deste horário acarreta é experimentado por todos que são obrigados a acordar mais cedo, incluindo as crianças.

Uma das medidas propostas pelo parlamentar e que pode solucionar o alto consumo de energia é o desenvolvimento de ações permanentes do governo que possam orientar e educar a população brasileira sobre o uso consciente de energia nos horários de ponta, das 18 horas às 21 horas. “Está claro que quem paga a conta dessa medida é o Sistema Único de Saúde (SUS) e a população”, alerta.

 

Adotado pela primeira vez em 1931, foi em 1985 que o horário de verão passou a ser instituído anualmente. Inicialmente com abrangência nacional, em 2003 foi reduzido para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

A hora de verão vigora nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais,Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.

Os Estados da regiões Norte e Nordeste não adotam a medida.

 

publicado por srgiodefreitas1965 às 16:27
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.subscrever feeds